Com Marx para além de Marx: algumas notas sobre a crítica do valor — Adriano Camargo

01 de agosto, 2022

A Revista Zero à Esquerda abre a chamada de artigos, resenhas, ensaios, notas e produções artísticas, literárias e audiovisuais em geral para o dossiê.

Michael Heinrich

28 de dezembro, 2021

Em Endnotes n. 1, descrevemos a emergência da teoria da comunização, na França, nos anos que se seguiram a Maio de 68. Este texto, e os outros na presente edição, opera no interior desta perspectiva da comunização, mas também se baseia fortemente nos desenvolvimentos teóricos no campo da teoria marxiana da forma-valor e, em particular, na tendência da “dialética sistemática”, surgida nos últimos anos...

Michael Heinrich

02 de fevereiro, 2022

Neste paper, apresentarei partes da pesquisa de doutorado na qual estou trabalhando. O tema dela é o poder econômico do capital, isto é, os processos e mecanismos através dos quais a lógica do capital se reproduz como “a potência econômica da sociedade burguesa que tudo domina”.[1] Através de um debate crítico com a crítica da economia política de Marx, a pesquisa consistirá numa tentativa de contribuir para o desenvolvimento de um aparato teórico que nos permitirá alcançar uma compreensão melhor de como a lógica do valor que se autovaloriza reproduz seu controle sobre a reprodução social.

um prologo às ideias fora do lugar

11 de fevereiro, 2022

O objetivo aqui não é trazer alguma novidade sobre o ensaio “As ideias fora de lugar”, mas retomar certos pontos da tese geral do texto– e busco destacá-los. O ensaio, ainda que não tenha como pressuposto a “definição” conceitual dos termos que está discutindo (liberalismo e escravidão, por exemplo), tem a tônica de sua exposição dada pelas suas inserções no debate teórico brasileiro a partir de seus “princípios”. Apesar de não ser extenso, há uma densidade de conteúdo que rendeu a notoriedade (e ainda o tem).

um prologo às ideias fora do lugar

28 de fevereiro, 2022

E onde entra o papel de certo "anti-imperialismo" de parcelas da esquerda, que vai desde dos que se negam a condenar nos fatos a invasão russa da Ucrânia até aqueles que fazem apologia aberta de Putin? Antes de tudo, muitos dos que juram de pés juntos estar sempre ao lado dos povos e dos oprimidos corroboram com o fato de que um país de 45 milhões de habitantes, absolutamente contra a vontade de seu povo, passe a viver um futuro indefinido de violência e ocupação militar direta a partir de Moscou (ou de um governo militar títere local, o que daria no mesmo). A crítica ao expansionismo da Otan no Leste Europeu, usada como bode na sala para a doçura derramada sobre Putin, é um típico exemplo de como algo verdadeiro em si pode servir de cobertura para uma tomada de posição absolutamente falsa.

um prologo às ideias fora do lugar

4 de março, 2022

A força da exposição de Adorno no nível micro desvelou, a partir da dialética entre produção de mercadorias e valor de troca, as categorias emancipatórias ocultas na crítica da economia política de Marx, cuja força como uma teoria revolucionária — isto é, uma teoria que afirma a construção da sociedade na perspectiva da mudança radical — foi, em sua maioria, esquecida pelos economistas marxistas contemporâneos. O pensamento de Adorno sobre a lógica essencial das categorias de reificação e fetichização, de mistificação e segunda natureza, deram continuidade à consciência emancipatória do Marxismo Ocidental dos anos 20 e 30, de Korsch e Lukács, de Horkheimer e Marcuse, constituída em oposição ao marxismo soviético oficial.

um prologo às ideias fora do lugar

07 de julho, 2022

Por meio de um exame crítico da literatura secundária sobre O capital, é possível apresentar provas de que a teoria do valor-trabalho é recebida ou criticada de uma forma grosseiramente simplificada e muitas vezes completamente deturpada. Logo, é próprio da interpretação positivista de Marx identificar a teoria clássica do valor com a teoria marxista do valor.

Com Marx para além de Marx: algumas notas sobre a crítica do valor — Adriano Camargo

30 de julho, 2022

A chamada Wertkritik ( “crítica do valor”) é uma corrente teórica originalmente marxista de militantes e teóricos alemães reunidos em Nuremberg, que por uma reinterpretação da crítica da economia política de Marx e suas categorias básicas, ou seja, mercadoria, valor, dinheiro e trabalho abstrato, passam a estabelecer uma crítica categorial ao capitalismo através da revista Crítica Marxista na década de 80, que alterou de nome posteriormente para Krisis por diversas rupturas teóricas com postulados marxistas sagrados.

Michael Heinrich

13 de dezembro, 2021

"Os corpos matáveis da colônia são os corpos matáveis da periferia em seu estágio atual, assim como são os refugiados e serão todos os supérfluos de todas as partes do mundo. Não há qualquer sentimento de empatia por esses corpos dessubjetivados, apenas o pavor de que amanhã não se irá escapar. Amontoados em pilhas no mangue e em zonas de espera, expressam apenas números, “vidas sem valor” que não têm mais serventia alguma para o movimento tautológico do capital, a verdade do sistema produtor de mercadorias é o asselvajamento e a desintegração social total, os campos representam essa verdade, a solução final operada pelo sujeito automático é o fim da humanidade em todos os seus sentidos."

Um zero à esquerda – Mark Fisher

06 de setembro, 2021

"Eu ofereço minhas próprias experiências de sofrimento mental não porque eu penso que tem algo especial e único sobre elas, mas para sustentar que várias formas de depressão são melhor entendidas – e melhor combatidas – através de quadros que são impessoais e políticos ao invés de pessoais e ‘psicológicos’"

Michael Heinrich

02 de dezembro, 2021

"Entre a posição do capitalista e a do trabalhador há, contudo, uma diferença completamente decisiva: o capitalista executa a lógica do capital; os trabalhadores e trabalhadoras sofrem essa lógica. Os possuidores de força de trabalho desfrutam da liberdade e da igualdade dos possuidores de mercadoria apenas na esfera da circulação. Por conta da peculiaridade da mercadoria que possuem, que não se separa da pessoa viva, o consumo de sua mercadoria pelo seu comprador é simultaneamente um consumo da pessoa em si, que é sua portadora. O possuidor da força de trabalho é alguém que 'trouxe sua própria pele ao mercado e, agora, não tem mais nada a esperar além da… esfola'".

Um zero à esquerda – Mark Fisher

22 de outubro, 2021

Anunciei minha palestra com o título de “O que realmente sabemos sobre o método da Crítica da Economia Política?”. Contudo, eu restringirei minha abordagem a dois aspectos: primeiro, pretendo abordar o método de Marx em O Capital, não em todo o seu projeto da Crítica da Economia Política; e, mais importante, pretendo abordar as implicações de dois textos, a Introdução de 1857 e o posfácio da segunda edição (do Livro I de O Capital), de 1873.

MAID: entre a sobrevivência e o descarte — Nathalia Colli

02 de novembro, 2021

Nathalia Colli reflete sobre as tensões entre realidade e ficção na série Maid.

Luta e Greve na Espanha

22 de novembro, 2021

Desde terça-feira, 16/11/2021, os trabalhadores(as) da indústria metalúrgica na cidade espanhola de Cadíz e Porto Real, localidade vizinha, encontram-se em greve por tempo indefinido...

Relato de uma entrevista de Karl Marx – John Swinton

1 Julho, 2021

Peter Samol reflete sobre o capitalismo tardio e as suas implicações para a psique.

Entre Marx, o marxismo, e os marxismos: maneiras de ler a teoria de Marx — Ingo Elbe

01 de junho, 2021

O objetivo das seguintes observações é oferecer um panorama superficial das principais maneiras de ler as teorias de Marx. Estas serão apresentadas – por meio de alguns tópicos selecionados – como marxismos que podem, de maneira relativamente clara, ser delimitados uns em relação aos outros, e a história de sua recepção e influência será avaliada no que diz respeito à compreensão de senso comum da “teoria marxista”.

A articulação dos povos para além do capital - entrevista com Neto Onirê da Teia dos Povos

12 de maio, 2021

Neto Onirê, Dirigente Estadual da Brigada Ojeffersson-MST e conselheiro da Teia dos Povos estabelece os princípios comuns para a articulação entre os povos, fazendo uma análise conjuntura da luta pela terra e as suas principais palavras de ordem desde o campo até a cidade.

previous arrowprevious arrow
next arrownext arrow

O número mais significativo

Zero à Esquerda é um veículo para conteúdo político radical que ainda não tem seu lugar.

contato@zeroaesquerda.com.br

Como colaborar

Há várias formas de contribuir com este projeto, seja enviando produções e traduções suas, seja financeiramente. Saiba mais!